Nos Acompanhe na Rede:
           

1 de fev de 2013

Review Maluco #8 - Silent Hill

Postado em:


Silent Hill – Terror em Silent Hill

Foi lançada para as telinhas em 2006 a adaptação do grande jogo de terror da Konami. Estou falando de Silent Hill e tenho que dizer uma coisa, fazia tempo que eu não assistia a esse filme e ele é tão DUMAL quanto o jogo e em alguns momentos até mais. O filme teve a direção de Chistophe Gans que foi responsável pela parte um do filme Necronomicon e também pelo Le Pacte des Loups e Crying Freeman. O roteiro ficou com Roger Avary que sozinho nunca fez nada que preste, mas ele teve duas parcerias de roteiro que são de respeito. A primeira foi junto com Quentin Tarantino em Pulp Fiction e a segunda junto com Neil Gaiman em Beowulf. No elenco temos Radha Mitchell (The Crazies, Rogue), Laurie Holden (The Mist, The Walking Dead), Deborah Kara Unger (The Game, Payback), Kim Coates (Resident Evil 4, Blood: A Butcher’s Tale), Alice Krige (The Sorcerer’s Apprentice), Roberto Campanella que fez o Pyramidhead e um muito obrigado para todas as gostosas que fizeram as Dark Nurses. Dois destaques consideráveis. Um foi a menininha Jodelle Ferland que fez um ótima papel no filme, mas o destaque vai porque ela fez duas coisas muito boas e um muito ruim. As boas foram o kingdom Hospital e ela fez a voz das Little Sister no jogo Bioshock 2. A ruim foi fazer parte da bomba The Tall Man que dispensa comentários. O outro destaque ficou para Sean Bean que por incrível que possa parecer ele não morreu nesse filme. Ele foi o Boromir no The Lord of the Rings e fez Eddard Stark no Game of Thrones. Para não achar que é implicância minha vou colocar aqui um link das mortes de Saen Bean e convenhamos que o cara nasceu para isso, morrer em filmes. Uma coisa que eu achei legal é a trilha sonora do filme foi feita por Akira Yamaoka, o cara responsável pela trilha de todos os jogos da franquia Silent Hill. O orçamento do filme ficou em torno de 50 milhões de Obamas e o filme arrecadou praticamente o dobro.


Mãe é um bicho estranho. Por exemplo, a minha que me ligou no domingo para saber se eu estava vivo, já que uma casa noturna em Santa Maria (bem longe de Porto Alegre) pegou fogo e como eu sou um cara muito festeiro eu podia estar lá. O mesmo caso de Rose (Radha) que é a mãe de Sharon (Jodelle). A menina tem sonhos horríveis e para piorar ela é sonambula e durante o passeio noturno ela normalmente fala duas palavras: SILENT HILL. Como Rose é uma mãe, ela faz uma pesquisa no Deus Google e descobre que existe uma cidade em algum lugar da América chamada Silent Hill, mas ela é uma cidade fantasma. Porque anos atrás um incêndio consumiu toda a cidade e parece que incêndios ainda estão acontecendo no subsolo da cidade onde ficava uma mina de carvão, por esse motivo a cidade está fechada em quarentena. Então Rose resolve levar a filha escondida até Silent Hill porque deve ser o que mães fazem... levar filhas sonambulas para uma cidade fantasma condenada.


Quase chegando à cidade Rose para em um posto de gasolina para pedir informações e todas as pessoas dizem que ela não pode ir até Silent Hill porque ela esta fechada e condenada, mas isso não é um problema. O problema é que o comportamento suspeito de Rose levantou suspeitas na policial Cybil (Laurie), que sai em perseguição da mãe fujona. A estrada está em péssimo estado e um para melhorar um nevoeiro sinistro e uma estática macabra no radio ajudam Rose a bater o carro. Teve também uma menininha que cruzou no meio da estrada, mas isso é só um detalhe.


Quando Rose recobra a consciência ela descobre que Sharon não está mais ali, então ela sai cidade adentro para procurá-la. Ai é que a coisa fica foda, porque uma sirene muito alta toca e uma escuridão DUMAL toma conta de toda a cidade. Quando Rose consegue achar o isqueiro e acender o lugar parece outro, com umas grades, sujeira demoníaca, ferrugem satânica essas coisas do gênero, mas ele consegue ver ao fundo a sua filha correndo e então começamos a correria. O que me incomoda é porque ela acha que é a sua filha, porque ela está chamando pelo nome e a criança corre em direção oposta, como se tivesse fugindo da cruz e a menina está com uma roupa completamente diferente da que a Sharon usava. Então para deixar o primeiro momento sinistro do filme mais sinistro, aparecem umas criaturinhas e começam a perseguir Rose só que ela está presa no meio das grades, sujeira demoníaca, ferrugem satânica essas coisas do gênero e não tem por onde sair, só que em um momento de desespero total, Rose consegue abrir uma porta e entrar em uma sala, só que a supermãe desmaia. 


Quando Rose acorda, ela se encontra com Cybil e com mais uma criatura DUMAL o que já da para perceber que foi uma péssima idéia ir para uma cidade fantasma e agora não tem mais volta, porque o caminho por aonde elas vieram agora tem um precipício, logo a única solução é voltar para a cidade. Nesse momento inicia a parte investigativa do jogo/filme, porque Rose achou um desenho feito por Sharon que mostra uma escola. Chegando à escola mais um pouco de investigação até que aparecem uns malucos com roupa radioativa perseguindo Rose e para quem achava que não podia piorar, a sirene toca. Só que dessa vez ela não trouxe umas criaturinhas, ela trouxe Pyramidhead que é uma das criaturas mais DUMAL que já fizeram. 


O fato é de daqui para frente à coisa vai ficar nisso, correria, monstros macabros, investigação, correria, sirene, correria, monstros macabros e por ai vai. O importante é que existe um mistério que liga Sharon a cidade e aos demais personagens que Rose e Cybil interagem, como Dahlia Gillespie que alega ser mãe de Sharon ou com Christabella que é a líder religiosa fanática da cidade que resolve tudo botando fogo nas coisas ou nas pessoas. 


O filme não é fiel ao jogo, mas os todos os elementos estão lá e seria ótimo que os estúdios fizessem algo parecido como fizeram com Silent Hill cada vez que eles resolvem fazer uma adaptação de um jogo de vídeo game. Tipo Street Fighter que fez com que Raul Julia morresse de desgosto depois do filme ou tipo King Of Fighter que eu nem quero falar sobre ele que me da vontade de chorar. Agora Silent Hill é um excelente filme e uma ótima adaptação. Na boa que o mistério não é tão misterioso assim, mas deixa o cristão apreensivo e angustiado. Quando tem a mudança da Silent Hill “normal” para a demoníaca é muito dukaralho, realmente me fez lembrar os melhores momentos do jogo. A seqüência final do filme na igreja é de deixar o cara arrepiado, deixando os 125 minutos de filme uma obra DUMAL. Admito que assisti o filme novamente porque eu vou ver o Silent Hill Revelations e queria estar com a história do primeiro filme fresquinha na cabeça e que bom que tive uma ótima surpresa, tendo a oportunidade de assistir um ótimo filme de terror.


Vocês podem acessar o blog Review Maluco e pedirem o seu review que sempre tento dar uma atenção especial para os pedidos. No blog também tem um sistema de pontuação por filme que pode ajudar ou não você a se decidir se vai assistir ao filme. Espero que tenham gostado e até a próxima sexta-feira com mais um Review Maluco.

Nando disse...

"Teve também uma menininha que cruzou no meio da estrada, mas isso é só um detalhe." LOL? kkkkkkkkkk
Gostei muito da review, o filme é sim bem parecido como primeiro jogo, mas mudaram os personagens, o que eu aprovei. O filme não seria o mesmo com Sean Bean no papel de Rose (LOL?)
Esqueçeu de comentar o final do filme, característico de todo game de Silent Hill, final feliz, é para os fracos.

Deixe seu Comentário!